QUANDO ALGUÉM MORRE: OS RITOS FÚNEBRES AO REDOR DO GLOBO

Quando alguém morre, todo mundo já sabe o que vem por aí: caixão, velório, enterro e cemitério. Isso sem falar que, hoje em dia, a cremação também é uma opção viável e popular. Mas você sabe de onde vieram esses rituais?

Todos os povos ritualizam seus mortos e apresentam maneira similar de reação diante da perda pela morte de um ente querido. Há registros arqueológicos sobre práticas rituais fúnebres desde a Pré-História, sugerindo que o desenvolvimento da nossa consciência coincidiu com a emergência de uma preocupação com relação à finitude, através do cuidado ritualizado para com entes queridos mortos.

Você sabia, por exemplo, que o termo “velório” vem de “velas”?

Quando não havia energia elétrica, as famílias passavam a noite com o falecido à luz de velas. Acredita-se que o costume surgiu na Idade Média e era uma forma de garantir que a pessoa estava mesmo morta (que não iria acordar a qualquer momento) antes de enterrá-la.

A cultura de homenagear a quem morre está intimamente ligada ao modo como as pessoas resolvem as questões relativas ao próprio desenrolar da vida social do qual a morte faz parte. Neste sentido, a forma de ritualização da morte revela como essa sociedade se organiza e reorganiza diante das mudanças e como ela simboliza esses momentos. Portanto, pensar em ritual fúnebre é tratar do sofrimento psíquico, com sérias implicações para a saúde mental dos indivíduos e para a vida social.

A tendência é sempre acharmos que os nossos hábitos são naturais ou “certos”, mas a verdade, é que cada sociedade tem um ritual diferente para lidar com a morte de um ente falecido e com o luto.

“Mostre-me a forma como uma nação cuida de seus mortos e medirei com exatidão matemática a ternura e a piedade de seu povo, seu respeito pelas leis da terra e sua lealdade aos altos ideais.”

A citação é atribuída a William Gladstone (1809-1898), ex-primeiro-ministro britânico. Não se sabe se ele proferiu mesmo essas palavras, mas fato é que a maneira de lidar com os entes queridos que se foram pode variar muito em algumas partes do planeta.

Conheça algumas delas:

O funeral em Gana

Pallbearers ganenses (carregadores funerários)

A imagem em que vários homens dançam enquanto carregam um caixão virou um meme internacional. A cena foi gravada em Gana, no oeste da África, onde funerais desse tipo são comuns quando a pessoa que morre teve uma vida longa (a expectativa de vida em Gana é ligeiramente inferior a 63 anos).

Os homens que aparecem no vídeo são pallbearers, expressão que poderia ser traduzida em português como “carregadores funerários”, que se dedicam a transportar caixões enquanto dançam. No primeiro dia depois da morte, costuma-se organizar um velório na casa da família. O cortejo fúnebre com os pallbearers ocorre na sequência. Neste país africano, onde um quarto da população vive na pobreza, há ganenses que gastam até 85.000 reais na realização de seus funerais.

Os tons que os carregadores ostentarão em suas roupas e a quantidade de gente convidada a presenciar o espetáculo durante o enterro também são fatores a levar em conta. Os pallbearers se vestem da mesma cor que a família escolher para o traje do falecido. Em geral é o preto para cerimônias mais solenes, ou branco ou vermelho quando se quer fazer uma grande festa. Quando os parentes do morto consideram que não haverá gente suficiente no funeral, opta-se por contratar os serviços de figurantes, que são os que mais dançam, mais choram e mais pulam, segundo o momento da celebração e o desejo do cliente. Tudo vai acompanhado, além disso, de grandes banquetes.

O enterro do céu na Mongólia e no Tibete

Monasterio de Drigun, no Tibete, conhecido por realizar esse tipo de cerimônia.

Muitos budistas Vajrayana na Mongólia e no Tibete acreditam na continuação dos espíritos após a morte. Para eles a alma continua, enquanto o corpo se torna um vaso vazio.

Então, para devolvê-lo à terra, o corpo é cortado em pedaços e colocado em uma montanha, desprotegido, para que ele possa se fundir aos elementos da natureza.

Essa é uma prática realizada há milhares de anos e cerca de 80% dos tibetanos ainda a escolhem.

O funeral de jazz de Nova Orleans

Funeral na cidade de Nova Orleans

Esse tipo de funeral é típico de Nova Orleans, Louisiana, nos Estados Unidos: um desfile funerário barulhento e com muito jazz.

Essa mistura entre tradições africanas, francesas e afro-americanas fazem com que os funerais em Nova Orleans atinjam um equilíbrio único entre alegria e tristeza.

Os familiares então são conduzidos por uma banda, que toca músicas tristes no início, mas depois que o corpo está enterrado eles mudam para uma versão mais otimista, com muita música e dança.

A Cremação em Bali

No local da cremação, o corpo é transferido para um boi de madeira

Na tradição balinesa, a cremação libera a alma para que ela seja livre para habitar um novo corpo. Fazer isso ao falecido é considerado um dever sagrado para as pessoas.

Em geral, o falecido é enterrado logo após a morte. Depois, quando a cerimônia de cremação é decidida, o morto é novamente removido da sepultura.

O funeral na Irlanda

Cortejo irlandês com gaita de fole

Após o funeral e enterro, o velório irlandês é uma celebração prolongada e informal do falecido por sua família e amigos. Ele pode durar tão pouco como algumas horas ou, ocasionalmente, continuar no dia seguinte, principalmente em áreas do país onde o vínculo entre a família e os amigos ainda é considerada muito importante.

Em uma cidade moderna, como Dublin, amigos próximos vão participar do velório, mesmo em um dia de trabalho. É por isso que a maioria das empresas irlandesas permitirá que o funcionário saia para um funeral, mesmo que o amigo não seja um parente próximo do empregado. Fora das grandes cidades, espera-se que a cidade ou vila feche enquanto todos pagam seus respeitos no funeral, sepultamento e velório.

Se o falecido tinha um grande número de amigos e colegas, às vezes, é comum que o velório seja realizado em um pub, ou ocasionalmente um hotel.

O elemento comum de qualquer ritual irlandês é o álcool, assim, todos os presentes vão celebrar a vida do falecido bebendo. O falecido é o centro da conversa, onde as pessoas relembrarão as histórias positivas. Como o dia avança e as pessoas se tornam mais afetadas pelo álcool, as celebrações podem tornar-se mais animadas, com música e canto em evidência. Comida geralmente é fornecida (sanduíches e lanches), e muitas vezes paga pela família do falecido. No entanto, todo mundo compra a sua própria bebida.

Quando um velório continua depois da hora de fechar o bar, clube ou hotel, as pessoas restantes irão retornar para a casa do falecido para mais bebida e histórias.

 

O funeral no Brasil

As coroas de flores são uma tradição muito forte no Brasil e há indícios de que se trata de uma tradição muito antiga, que deve ter começado no Egito Antigo. Há quem diga que elas são uma derivação das cartas de condolências que se mandava para a família do falecido. Com o tempo essas mensagens passaram a ser transmitidas pelas coroas.

No Brasil, as coroas de flores são símbolo dos rituais fúnebres e é comum que uma pessoa, família ou empresa ofereça uma dessas à família que acaba de perder um ente durante o velório ou enterro.

Há uma infinidade de tamanhos, mensagens e tipos de coroas de flores e uma dica é ficar atento ao significado de cada uma delas para passar a mensagem certa.

Aliando requinte e qualidade aos seus serviços, a floricultura da Funerária São Pedro permite produzir toda a ornamentação necessária para cada funeral, de maneira personalizada. Produzidas somente em flores naturais, as coroas de flores da São Pedro são diferenciadas em tamanho, beleza e qualidade das demais existentes no mercado. Além das coroas de flores, mantos e arranjos são produzidos com flores naturais, garantindo uma homenagem inesquecível.

Saiba mais sobre as opções de cerimonial da São Pedro:

  • Cerimoniais com Violinista;
  • Despedida com Pétalas de Rosas;
  • Texto de Homenagem Personalizado;
  • Cerimonialista dedicada para conduzir o encerramento e carta da família;
  • Cerimonial Temático e Personalizado pela família.

Uma grande homenagem personalizada pela família, do jeito que seu ente querido merece, com todo o seu amor.

Sem categoria

Entre em contato conosco whatsapp